O que é o TESTE RESPIRATÓRIO DE HIDROGÊNIO EXPIRADO? 

O teste respiratório do hidrogênio expirado é um exame que utiliza a medida do hidrogênio presente na respiração para diagnosticar várias condições clínicas que causam sintomas gastrointestinais.

Fornece informações sobre a digestão de determinados açúcares ou hidratos de carbono, tais como o açúcar do leite (lactose) ou açúcar de frutas (frutose) e muito mais. Isto ajudará a determinar se o paciente é intolerante a alguns açúcares.

O teste também é utilizado após a ingestão de lactulose para detectar um crescimento anormal de bactérias dentro do intestino. O supercrescimento bacteriano pode causar uma variedade de sintomas, incluindo diarreia, flatulência, gases, eructações e cólicas abdominais

O teste respiratório de hidrogênio para tolerância a Lactose é considerado o melhor exame (padrão-ouro) para o diagnóstico da intolerância à lactose, pois, além de apresentar grande sensibilidade e especificidade, é um exame não invasivo (sem coleta de sangue).

O teste do hidrogênio expirado é também, excelente método para diagnóstico diferencial da diarréia persistente e crônica, dor abdominal, excesso de gases, aumento dos ruídos intestinais e distensão abdominal, sintomas que podem ser decorrentes da má absorção de açucares (lactose, sacarose, frutose, sorbitol) e do supercrescimento bacteriano.

Através desse exame podemos diferenciar e por consequência tratar de maneira adequada as seguintes condições clínicas:

– Má absorção a Lactose;
– Má absorção a Frutose;
– Má absorção a Sacarose;
– Má absorção a Sorbitol;
– Má absorção a Xylose;
– Supercrescimento bacteriano;
– Alterações no tempo de trânsito oro-cecal.

Como funciona o teste respiratório do hidrogênio expirado?

As bactérias anaeróbicas do cólon são capazes de digerir os açúcares e carboidratos, como alimentos. Quando isso ocorre, elas convertem um pouco do açúcar em gases, mais comumente hidrogênio, além de outros gases. Um pouco do hidrogênio é absorvido pelo cólon para a corrente sanguínea e é eliminado na respiração, onde pode ser medido.

Quando uma maior quantidade de açúcar ou carboidrato atinge o cólon, porque não sofreram digestão e absorção no intestino delgado, uma quantidade maior de gás e outras substâncias é formada no cólon, e são essas diferenças do padrão da normalidade que conseguimos observar através desse exame.

Para facilitar seu entendimento, vamos dar um exemplo: Se um indivíduo digere e absorve normalmente o açúcar do leite (lactose), nenhuma lactose que foi administrada para o teste respiratório do hidrogênio expirado atinge o cólon e, então, não é observado nenhum aumento na concentração do hidrogênio na respiração durante a realização do teste, sendo então considerado um paciente sem intolerância a lactose. Por outro lado, se um indivíduo não digere e absorve completamente a lactose, ou seja, ele ou ela é intolerante à lactose, ela passa pelo intestino delgado e atinge o cólon onde as bactérias a digerem e produzem hidrogênio. Nessa situação ocorre um aumento na concentração do hidrogênio na respiração que é observado durante a realização do exame.

O mais interessante é que isso também ocorre com outros açucares (sacarose, sorbitol, etc), os quais também podem ser observados e diagnosticadas suas intolerâncias através desse exame.

Já em relação aos exames de supercrescimento bacteriano e tempo de trânsito oro-cecal, geralmente é utilizado um açúcar que não é digerido e absorvido pelo homem, como a lactulose.

Após a ingestão da lactulose nós conseguimos observar o seu comportamento através da dosagem do hidrogênio e avaliar se o paciente possui alguma alteração como produção aumentada de bactérias no intestino delgado (supercrescimento bacteriano) ou um trânsito intestinal muito acelerado (tempo de trânsito orocecal).

Quais as vantagens do teste do hidrogênio expirado?

– Grande sensibilidade e especificidade (maior que o teste sanguíneo): teste padrão ouro para o diagnóstico da intolerância à lactose;
– Pode ser realizado em adultos e crianças de qualquer idade;
– Teste não invasivo (sem retirada de sangue);
– Consolidado como método mais eficiente de avaliação da função digestivo-absortiva.

Mas como é realizado o teste respiratório do hidrogênio expirado?

No início do teste o paciente assopra vagarosamente num aparelho portátil. O aparelho mede a concentração inicial (basal) de hidrogênio. Depois ingere uma pequena quantidade do açúcar a ser testado (lactose, frutose, lactose, etc., dependendo do objetivo do exame). Amostras adicionais do ar expirado no aparelho são analisados e medido o hidrogênio em intervalos de 15 a 30 minutos por três e até cinco horas, dependendo do exame a ser realizado.

Quais são os efeitos colaterais do teste respiratório do hidrogênio expirado?

Os efeitos colaterais do teste respiratório do hidrogênio expirado são exatamente os mesmos que se poderia esperar em indivíduos que digerem e absorvem pouco os açúcares e carboidratos, por exemplo, estufamento, distensão, dor e diarreia.

Para maiores informações, marque sua consulta.

Menu